Twitter Updates 2.2: FeedWitter

domingo, 5 de outubro de 2014

As Vezes não passa

As vezes não passa, deveria, mas não passa... as inúmeras vezes que nos magoaram quando estavamos obeso.
É triste lembrar de toda uma infância com colegas zoando, porque na nossa época o bullying ainda  não existia e se facilitasse um pouquinho os próprios professores acabavam por entrar no jogo. E assim caminhava a vida, deixada de lado nos jogos, deixada de lado nas brincadeiras, somente nos trabalhos que envolviam cérebro é que sempre era a primeira...
Deveria ter esquecido, mas  não esqueço, da vez que desparafusaram a cadeira só para parecer que eu havia quebrado ela ao sentar...
São coisas que ficam na memória.
Na adolescência não mudou, sempre o preconceito, sempre os deboches...
Deveria ter passado, mas não passa, não passa aquele cara que desprezou, porque eu era o bujãozinho...
Deveria ter ficado somente os amigos verdadeiros, os paqueras que valeram a pena por ficarem comigo pelo que eu sou.
Deveria ter passado as vezes que chorei escondido.
Deveria ter passado as dores que senti, as comorbidades...
MAs ficou o amor da minha vida que encontrei e me quis como sou, e juntos formamos uma família, e o que me desprezou lá atrás hoje está só.
Eu cresci...
Eu sobrevivi...
Eu não fui um corpo sem cérebro na adolescência e hoje tenho corpo e cérebro, e as patricinhas daquela época?
As vezes não passa a mágoa, mas no fundo estamos melhor... muito melhor do que nós mesmos e do que os que nos trolavam.
A mágoa não passa, mas a vida continua...
Eu só queria ter a minha mentalidade de hoje quando eu tinha meus 20 anos.
Seria mais segura.
Eu  vivi a obesidade desde a infânica, passei por um curto tempo de peso normal aos 25, depois entrei na obesidade mórbida, mas hoje com o peso estável  estou bem.
Só queria nunca ter passado pelo que passei, queria ter conhecido a bariátrica com meus 18 anos. Não teria adoecido tanto, não teria sofrido tanto.
MAs o que é de ser é... se eu tivesse feito a bariátrica antes eu sei que tudo teria sido diferente, tudo mesmo... e talvez não deveria ser.
Pois bem, mágoas a parte, lágrimas a parte (e confesso que choro ainda ao lembrar), estamos vivos e com dez anos de brinde...
Força, fé e foco guerreiros.
 

3 comentários:

  1. Passei exatamente pelo mesmo que você passou na infância e na adolescência. Me apelidaram de "the monster" na escola. Porém, saindo do inferno do ensino médio, comecei a me recompor, mesmo gorda. Hoje tenho 29 anos e minha bariátrica será em menos de um mês. No entanto, já venho trabalhando meu psicológico há muito tempo. Hoje, me amo como sou, me acho linda e incrível. Vou operar para aliviar a coluna e o coração. Vc também já era linda e incrível antes, as pessoas é que eram idiotas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, desculpe a demora em responder. Ando meio na correria... Mas me conte? Fez a cirurgia?Como está?

      Excluir
    2. Oi, desculpe a demora em responder. Ando meio na correria... Mas me conte? Fez a cirurgia?Como está?

      Excluir

Deixe aqui seu comentário. Comentários com palavras de baixo calão, ofensas ou inapropriados serão excluidos.