Twitter Updates 2.2: FeedWitter

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Sindrome de Túnel de carpo

Amanhã vou passar pelo ortopedista, peguei o resultado da minha eletroneuromiografia e acusou síndrome do túnel de carpo com desmielização.
Estou um tanto preocupada, pois quando há desmielinização não se consegue recuperar o estrago feito, só evitar que aumente.
Mas vamos esperar que o ortopedista me esclareça as dúvidas e me diga como tratar isso.
Estava com muito receio quanto a neuropatia periférica, pois em alguns casos acomete os gastroplastizados, mas isso é um caso a se analisar.
Semana que vem estou com uma consulta marcada com um gastro clínico para avaliar minha anastomose, e também refazer os exames de rotina.
Sempre bom cuidar ao máximo né?
Vamos lá...

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Semana começando, hora de desintoxicar

Mais uma semana iniciando, e com ela uma missão: desintoxicar.
Mas o que vou fazer para isso?
Missão da semana: passar longe de açúcar refinado, longe de leite com algum teor de lactose (mesmo porque sou intolerante a ela), tomar um chá ou suco detox todos os dias.
Escolhi detox red e chá de gengibre, canela e limão para essa parte da missão.
Pretendo passar o mais longe possível de farinha branca (essa é a parte mais difícil para minha pessoa, kkkk).
Mas vamos lá, hoje a noite puxar um pesinho na academia para garantir a massa muscular que sumiu com a preguicinha da gravidez.
E assim começa minha semana,depois de um domingo de trabalhos na eleição, uff, essa parte ninguém merece, mas faz parte.
Estou me sentindo um tanto quanto inchada nessa segunda, sei que além de reter líquido normalmente estou entrando na TPM, e isso é complicado, por isso livrar do açúcar refinado e do leite vai me auxiliar , pois são dois grandes vilões da vida feminina, além do que preciso passar a quilometros do chocolate (as mulheres sabem bem o quanto isso é triste na TPM).
Mas vamos lá, foco e a força que preciso... no mais seguir em frente.
Beijos borboletas...

domingo, 5 de outubro de 2014

As Vezes não passa

As vezes não passa, deveria, mas não passa... as inúmeras vezes que nos magoaram quando estavamos obeso.
É triste lembrar de toda uma infância com colegas zoando, porque na nossa época o bullying ainda  não existia e se facilitasse um pouquinho os próprios professores acabavam por entrar no jogo. E assim caminhava a vida, deixada de lado nos jogos, deixada de lado nas brincadeiras, somente nos trabalhos que envolviam cérebro é que sempre era a primeira...
Deveria ter esquecido, mas  não esqueço, da vez que desparafusaram a cadeira só para parecer que eu havia quebrado ela ao sentar...
São coisas que ficam na memória.
Na adolescência não mudou, sempre o preconceito, sempre os deboches...
Deveria ter passado, mas não passa, não passa aquele cara que desprezou, porque eu era o bujãozinho...
Deveria ter ficado somente os amigos verdadeiros, os paqueras que valeram a pena por ficarem comigo pelo que eu sou.
Deveria ter passado as vezes que chorei escondido.
Deveria ter passado as dores que senti, as comorbidades...
MAs ficou o amor da minha vida que encontrei e me quis como sou, e juntos formamos uma família, e o que me desprezou lá atrás hoje está só.
Eu cresci...
Eu sobrevivi...
Eu não fui um corpo sem cérebro na adolescência e hoje tenho corpo e cérebro, e as patricinhas daquela época?
As vezes não passa a mágoa, mas no fundo estamos melhor... muito melhor do que nós mesmos e do que os que nos trolavam.
A mágoa não passa, mas a vida continua...
Eu só queria ter a minha mentalidade de hoje quando eu tinha meus 20 anos.
Seria mais segura.
Eu  vivi a obesidade desde a infânica, passei por um curto tempo de peso normal aos 25, depois entrei na obesidade mórbida, mas hoje com o peso estável  estou bem.
Só queria nunca ter passado pelo que passei, queria ter conhecido a bariátrica com meus 18 anos. Não teria adoecido tanto, não teria sofrido tanto.
MAs o que é de ser é... se eu tivesse feito a bariátrica antes eu sei que tudo teria sido diferente, tudo mesmo... e talvez não deveria ser.
Pois bem, mágoas a parte, lágrimas a parte (e confesso que choro ainda ao lembrar), estamos vivos e com dez anos de brinde...
Força, fé e foco guerreiros.