Twitter Updates 2.2: FeedWitter

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Redução de estômago, consciência dos riscos

Quando optei por reduzir meu estômago e desviar parte do meu intestino eu fiz sabendo perfeitamente o que me esperava, e mesmo assim a gente entra em curto em certos momentos.
Escrevo este texto hoje porque infelizmente é necessário mencionar as probabilidades de complicações no pós cirurgico.
Semana passada a irmã de uma amiga minha veio a falecer em Curitiba devido a complicações pós cirurgicas mesmo após sete meses de cirurgia bariátrica.
Devo ter mencionado em alguma parte do meu blog que eu tive um fechamento anormal do meu estômago após a cirurgia, pois bem, assim que o médico introduziu a dieta sólida eu comecei a vomitar e sentir dores no abdomem, a comida ia até a entrada do estômago e voltava e isso era exremamente incômodo, senti isso numa sexta feira e na segunda já voltei ao médico (dr. Darlan) que via endoscópica através de um balão dilatou a entrada do meu estômago e resolveu o problema, simples assim.
Infelizmente esata moça a que me referi teve a mesma complicação, e sinceramente não sei lhesresponder o porquê, mas ela persistiu com esse grave comprometimento até que ocasionou seu falecimento, segundo minha amiga ela já havia perdido em média uns 60 kg.
O que venho alertar aqui é o seguinte, a perda de peso média aceitável após o segundo mês (os primeiros são mais acelerados) varia entre 2 e 6 kg, fora disso fique em alerta. A cirurgia bariátrica é um instrumento que nos auxilia, mas temos de estar atentos as suas complicações, quando resolver fazer procure um bom médico e que disponha de uma equipe multidisciplinar confiável, com psicólogos, psiquiátras, fisioterapeutas, nutricionista, enfim, uma grade que vai te deixar confiante, bem informada e certa do que tem de fazer.
Optar pela bariátrica é um bom caminho, mas tem de se optar também pela segurança.
Cuidado com emagrecimento rápido demais, cuidado com dores abdominais, sinais de embuxamento, engasgos, vômitos fortes, cada sinal deste pode ser um simples sinal de intolerância à algum alimento, dumping, mas também pode ser algo mais grave.
Eu tive sintomas ruins, mas felizmente resolvi o estreitamento da entrada do estômago, descobri que meu mal estar era intolerância à lactose, tenho dumping às vezes, mas sempre procurei saber o que havia de errado.
Não tenha medo de procurar o médico assim que você pensar que tem algo fora do normal, pode ser que esteja só com medo, pode ser que não seja nada, mas é sempre bom buscar garantias, nem que você se torne aquele paciente chatinho.
Infelizmente é assim, nem tudo dá certo e nem sempre dá certo. Mas lembre-se a maioria das vezes absoluta é sucesso e os casos negativos vem quase sempre no pós cirurgico e podem ser controlados se diagnosticados e tratados da maneira correta.
Então, olho na balança, peso demais perdido é sinal de alerta.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

De Novo A Fênix

Ontem fui a nutricionista, estou liberada das consultas, só preciso voltar daqui a um ano, cheguei a minha meta, meu índice de gordura corporal desde que comecei a academia baixou de 48% para 28 %, e com mais 5% de ganho de massa chegarei ao normal inclusive nisto.
Estou bem, no que diz respeito ao termo saúde, sinto-me bem, tenho mais folego, minha pressão despencou, meus cabelos começam a parar de cair e já nasceram novos, minha pele está flácida, mas dentro do normal, meu manequim está entre 40 e 38, enfim, a parte estética foi muito bem obrigada.
Porém lembram da Fênix, pois é, hoje encontro pessoas que me olham de cima embaixo e dizem: No0ssa, não é a mesma pessoa!
Realmente, exteriormente mudei por completo, cortei os cabelos que por toda minha vida usei longos, tingi de castanho pois era loura, passei dos 108,3 kg parra os 64,5kg, mudei minhas roupas, meus hábitos, minha  vida inteira entrou em metamorfose, mas creiam, por dentro ainda estou aqui, com todos os bullings que sofri.
A Fênix renasce mas nunca deixa de ser o ássaro que era antes de se queimar, morrer e reviver.
Posso dizer que fui tal qual uma borboleta, nasci uma larvinha, que por anos sofreu por ser larva, afinal, o que vale uma larva não é? Mas vale!
Quando entrei naquela sala de cirurgia entrei no meu casulo, virei uma pupa, enrolada, metamorfoseando, mudando a minha forma de larva para a de borboleta que tem suas asas e pode voar levemente.
mas eu os convido, observe bem de perto a borboleta do seu jardim ,vejam que seu corpo ainda em muito lembra a larva, apenas foi recoberto por cores e ganhou asas mudou, mas não perdeu a excência.
Por isso eu digo, eu fiz a gastro, consciente de que estava fazendo algo que necessitava por minha saúde, mas se você está acima do peso, mas bem, bem consigo mesma, com sua saúde: que se dane o mundo!!! o que importa é você, porque a larva sempre foi borboleta.
Se ame, se valorize, eu falo isso do alto de quem viveu, bulling é coisa de idiota, você não tem nada de erradop, errado está o cérebro do imbecil que fica criando apelidos, brincadeiras de mal gosto.
Sabe, eu sou mais quer o imbecil que desparafusou minha cadeira na época do ginásio, eu sou mais do que o idiota que me rejeitou porque eu era gordinha, eu sou mais do que as fulanas que me davam apelidos, mas eu não sou mais hoje, eu sempre fui!!!
E você certamente também é!
Quem me derrubou da cadeira certamente hoje não vive o que eu vivo, quem me desprezou nem sequer alguém que o ame talvez encontrou, quem zombou hoje pode ser o motivo das chacotas atuais, mas eu, eu sobrevivi.
Amigas, tenham sempre em mente isto: não importa o que falem ou pensem de nós, importa o que somos e o que sentimos.
Sejam felizes... porque os outros talvez serão...