Twitter Updates 2.2: FeedWitter

sexta-feira, 20 de março de 2015

De Lagarta à Borboleta, sem esquecer o casúlo

Por vezes tenho me deparado com situações no mínimo constrangedoras e para não dizer absurdas entre gastroplastizados.
Quando a gente está lá, nos cem, duzentos quilos sente o preconceito na pela como muitas vezes tenho relembrado na vida e no blog, é triste, mas infelizmente algumas pessoas depois de emagrecer esquecem isso.
Ok, esquecer seria maravilhoso, apesar do meu psicológico não ser tão bem preparado assim, mas esquecer e passar a cometer o mesmo erro com outras pessoas, daí sim é o que chamo de absurdo.
Lembrando sempre que antes de mais nada, somos Ex obsesos e constante tratamento, então antes de  zoar quem está acima do peso, espelho e álbum de fotos são uma constante... Fomos lagartas e passamos a borboletas mas antes estivemos reclusos no casulo, e é exatamente esse casulo que devemos ter em mente quando pensarmos em ofender outra pessoa que ainda está obesa, porque se não fosse o aperto do casulo não seríamos borboletas, e cada um sabe onde o casulo mais apertou.
A dor que sentimos e nos levou a cirurgia, seja física ou psíquica não é diferente da dor de quem hoje muitos ofendem.
Lembrem-se sempre: não somos  magros porque nascemos magros, mas porque a ciência nos ajudou, então jamais deveríamos ser com os outros o que muitos ignorantes foram conosco.
Outro fator deverás estressante é o: "Ai meu Deus, você come tudo isso?" Cada um sabe do seu estômago e da sua vida, um organismo reage de forma diferente do outro. Se eu não bebo, não fumo e como a maioria das minhas refeições orgânicas ou integrais não é direito meu criticar quem não o faça... eu optei por isso, o outro optou por outra forma e cada um sabe de si.
Eu como sim doce, como sim chocolate, mas como um quadrado de chocolate uma vez ou outra, como doce light, vez ou outra, eu como sim um X duas vezes por ano, mas um terço dele. Sempre me recordo que a equipe que me operou dizia que não íamos ser privados de nada, mas sim limitados. Meu estômago tem 6cm, não cabe um X, mas eu como um pedaço uma vez ou outra e meu médico sabe, minha nutricionista sabe...
Eu não como farinha branca, a não ser uma vez por semana (nem no pão francês), dois dias por semana me privo até mesmo das farinhas integrais, mas isso não é regra, é consciência minha e opção minha, mas sei que quem com um pãozinho por dia também vai ter a mesma saúde porque não está cometendo pecado algum. Então resumindo, como de 250gr a 300gr em quatro anos de cirurgia sim, não como 100 gr ou 50 gr porque médico nenhum em sã consciência vai achar isso normal, suplemento sim, e vivo normalmente sem peso, com pouca gordura corporal.
Mas se alguém vive com 50Gr depois de quatro anos, que viva, pois cada um sabe de sim.
É  isso borboletas, mais foco na vida e menos no diz que me disse, porque todos são adultos e vacinados e cada um sabe de si. E principalmente: lembrem-se sempre de olhar os álbuns fotográficos antes de estender preconceito sobre alguém acima do peso: nós somos sempre ex obesos em tratamento...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário. Comentários com palavras de baixo calão, ofensas ou inapropriados serão excluidos.